quinta-feira, 24 de junho de 2010

Estranhos - 2

Dias atrás, fui fazer leitura da luz num bairro humilde aqui da cidade. Num certo momento, parei em frente a uma casa que tinha o relógio de luz do lado de dentro e bati palmas.

Silêncio. De repente, percebi que um olho me olhava pela fresta. Então, eu disse:

- Bom dia!

O olho, ou melhor, o dono dele, me respondeu:

- Bom dia! O que você quer?

- Eu vim fazer a leitura da luz, senhor.

- Ah, bom! Então pode entrar – disse o homem aliviado abrindo o portão. – Eu pensei que fosse um “irmão” da igreja.

Quando eu entrei, percebi que o senhor que me atendeu estava sem camisa (com uma barriga de dar inveja a Lua) e vestido apenas de cueca roxa frouxa e desbotada.

Fiquei pensando o que significava aquilo tudo: quer dizer que só porque eu não era “irmão” da igreja dele, eu merecia ter aquela visão do inferno! Isso é preconceito religioso!

Enquanto eu fazia a leitura, outra pessoa bateu no portão. Lá foi o homem de novo:

- Quem é?

- Bom dia. O senhor quer comprar CD?

- Não, obrigado.

Aí, o senhor virou pra mim e disse:

- Até parece que eu vou comprar esse tipo de CD.

Aí, eu pra concordar:

- Ah, o senhor tá certo. CD pirata não dá, né?

- Não, não é porque é pirata, não. É porque eu não escuto qualquer tipo de música. Só as que tocam na minha igreja. Quando eu era do mundo, eu ouvia.

Quando uma pessoa perto de mim usa essa expressão “Quando eu era do mundo”, me dá vontade de perguntar:

- Por quê? O senhor não é mais do mundo?

Mas, vai que a pessoa responde:

- Não. Eu morri e virei morto-vivo.

Aí, pra mudar de assunto, eu pergunto qualquer coisa:

- Que dia é hoje?

- Sexta-feira 13! Prazer, meu nome é Jason.

E com um facão, ele decepa a minha cabeça.

Mas, a conversa também pode correr pra outro desfecho:

- Quando eu era do mundo...

- Por quê? O senhor não é mais do mundo?

- Não, aproveitei que fui abduzido por extraterrestres e me naturalizei marciano. Agora eu tenho dupla mundialidade.

Não era o caso do senhorzinho.

No mesmo dia, bati num sobrado e uma mulher da janela do segundo andar respondeu:

- Só um minuto.

De repente, uma minúscula janelinha se abriu no portão da garagem, onde ficava o relógio de luz, e a mulher apareceu perguntando:

- O que é, moço?

- Bom dia! Eu vim marcar a leitura da luz.

- Xiiiiiiii! Moço! Só que o meu marido levou a chave! É que esses dias eu ameacei de ir embora de casa, e agora, ele tá me trancando aqui quando vai trabalhar.

Dito isso, a mulher caiu na gargalhada. Mas, o mais engraçado é que ela falava sério.

Tive que enxergar a leitura daquela pequena janelinha.

O pior de tudo é que a mulher, que Deus me perdoe (como diria a minha tia), era tão feia, mas, tão feia, que nem o Feio que trabalha comigo teria coragem de encarar.

Hoje, fui fazer leitura na cidade de Perdões. Bati numa casa e um homem apareceu.

- É leitura da luz?

- É.

Aí, quando veio abrir o portão, ele me disse assim:

- Eu deixei o portão trancado por causa de uma pessoa aí... – e apontou pra dentro de casa. – Você entendeu, né? Não preciso nem explicar!

Eu concordei com a cabeça, mas, juro que não tava entendendo nada. Até me lembrar da história anterior, do homem que trancou a mulher em casa, e então, tudo fez sentido.

Se aquela tia solteirona soubesse desse método de trancar a pessoa em casa, ela nunca mais faria simpatias intituladas: “Como segurar um homem”.


25 comentários:

  1. ahh tpo tb sou evangelica
    é comum nós falarmos isso já que "morremos e renascemos dnovo" p jesus
    mais é estranho ouvir isso para quem não conhece
    bom , agra o da mulher trancada ..coitadoo , mesmo sendo feia , nenhuma mulher merece ser presa pelo marido. para! estamos no sec XXI kk VIVA A INDEPENDICA FEMININA..kk

    abrços

    ResponderExcluir
  2. Mariana, eu sei que quando as pessoas dizem que não são mais ligadas as coisas "do mundo", elas querem dizer que não dão mais valores as coisas mundanas. Eu tenho alguns parentes evangélicos.

    Eu só acho que pra aceitar Jesus, como muitos dizem, não é preciso fechar os olhos para as outras coisas do mundo. Se não,é radicalismo. Mas, não estamos aqui para discutir religião. O importante é cada um se sentir bem onde quer que vá e principalmente tenha boas atitudes. Porque também ir na igreja e não fazer nada de bom, não adianta, não é verdade?

    Abração!

    ResponderExcluir
  3. Quando tu falou da mulher q estava presa para nao fugir de casa e=me veio a cabeça a musica d dupla Tonico e Tinoco "Joao de Barro", essa eu ouvi qndo era fita bem antes do CD hahaha

    O tal sujeito da frase "Quando eu era do mundo" deve ser irmao de uma pessoa q vc citou em um post (nao e lembro qual) se nao me engano do travesti lah q o taxista queria levar pra casa dele, e ela tava parada perto do cemiterio. Nessa ate eu me enrolei

    Falou Paulo abraçosssss

    ResponderExcluir
  4. hahahahahaha
    Muito bom o post!

    Coitada da mulher trancada!

    Abraços,
    Raquel

    ResponderExcluir
  5. tambémm acho , tb não sou radicalista...acho que nem precisa ser assim , nos temos que nos adaptar a certas coisas só. é isso ae , cada um se senti bem com que acredita
    ctz , e nem precisa ser evangelico ou ir na igreja para ter um sentimento de solidariedade , de ajuda ou querer fazer algo do bem neh. xD
    tem coisa que eh sempre dificio de "discutir" kk

    abraços

    ResponderExcluir
  6. Paulo, eu queria saber como é a vida de um leiturista, porque ele(a) geralmente trabalha só um tempo por mês (eu acho). Não é?
    Cara você é zicado. Isso acontece com seus colegas de trabalho tmb?
    Desde que eu te conheci eu quis ver o leiturista da luz fazendo a leitura (sim apenas o de luz, eu sempre vejo o da água), eu nunca vi.
    Queria encher o saco dele fazendo perguntas imbecis sobre o cotidiano do trabalho e fazer ele perder tempo #malévola

    Queria que não desse pra ver do portão o relógio só pra eu poder atendê-lo. Eu seria até gentil com ele.
    Fala sério, é um saco essas pessoas inconsequêntes que constrõem as casas que não dá pra ver o relógio do lado de fora e quando você chama lá ainda sai de cara feia e te atende mal, não?

    Beeijos,
    Isabela.

    ResponderExcluir
  7. Ahahahahaha, você e suas hiérboles. Mas olha, se eu fosse você garantiria o seguro de vida, porque com essas 'bizarrices' que você encontra diariamente... rsrs.

    Muito bom! Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Jander, vou procurar por essa música. rs!

    Pode crer, vai ver o tiozinho é parente do travesti do cemitério.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Raquel, do jeito que a mulher riu, acho até que ela gostava. rsrs!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Mariana, concordo com tudo o que disse, principalmente da parte em que é difícil discutir certos assuntos. Sempre que vou escrever aqui, fico pensando em como criar alguma coisa engraçada sem ser preconceituoso e ofender alguém. Mas, falar de certos assuntos como religião, raça, culturas etc, é sempre complicado. A minha intenção é apenas entreter e divertir quem lê o blog, não ofender as pessoas.

    Pela forma como você escreve tenho a impressão de que é uma pessoa inteligente, de cabeça aberta. Adoro gente assim. rsrs!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  11. Isabela, você é uma figura! rs!

    Geralmente, no final do mês nós temos alguns dias de folga. (Mas, aí, o povo da chefia marca reuniões pra gente só pra estragar a festa)
    Meus colegas também têm ótimas histórias e alguns são muito mais zicados do que eu.

    Escuta, você pretende ser gentil ou malévola com o leiturista da luz? rsrs! Dica, na sua conta de luz, vem marcado "Próxima leitura dia tal" ou seja, na conta de junho você já pode ver o dia da leitura de julho. E assim, esperar pelo leiturista. rs!

    Boa Sorte!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Larysse, eu já tenho um seguro de vida. Aliás, seguro de vida só serve pra quem vai ficar vivo. quem inútil, né? rsrs!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. Ops! Eu quis dizer "Que inútil". rs!

    ResponderExcluir
  14. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Mto bom o post :D

    ResponderExcluir
  15. Ah sim. Achei que, por pura ignorância minha, o pessoal não trabalhasse o mês inteiro.

    Obrigada pela dica.
    Quando for dia da leitura vou dar uma desculpa pra minha mãe deixar eu ficar em casa o dia inteiro e vou ficar de plantão no portão.
    HAHAHAHAHAHA'

    Bom eu estou com uma péssima mania de exagerar nas minhas falas e escritas.
    Quis dizer que seria gentil com o leiturista sim, mas eu o faria perder um bom tempo fazendo perguntinhas bobas; e eu acho que não é muito legal você peder tempo com uma menina chata enchendo o seu saco, sendo que você poderia estar trabalhando.

    =D

    Beeijos,
    Isabela.

    ResponderExcluir
  16. Ahusahusahu
    Ri alto aki!
    Parabéns! Vc se supera...
    Adoro os seus "causos" do cotidiano.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  17. Isabela, talvez você possa elaborar um questionário escrito pro leiturista levar pra casa e trazer respondido no mês seguinte. Assim, ele não poderá te dar a desculpa de que está com pressa e não te responder. rs!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. HAHAHAHAHAHAHA'

    Paulo só você msm pra pensar uma coisa dessas.
    Às vezes eu acho que que tenho a imaginação um pouquinho fétil, mas você me supera.

    Seu doido.

    ResponderExcluir
  19. cada um com suas loucurassssss... hehehe
    otimo texto, acho legal essa sua profissão atual, pq gente ver essas coisas deve ser ao mesmo tempo engraçado e assustadora ehhehehe

    ResponderExcluir
  20. bom este post acho que a mulher até que gostava ou gosta de ficar fechada vai ver ela se sente valorizada por isso vc e suas historias sempre muito boas abraços

    ResponderExcluir
  21. Milena, é, pelo menos eu me divirto. rs!

    Abração!

    ResponderExcluir
  22. Suzi, eu também acho. rs!

    Obrigado.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário!

Sugestões de postagem serão bem-vindas!